Davvero: o restaurante do novo hotel de charme Sublime Lisboa está quase a abrir

22/04/2022 às 19:58

O grupo Sublime comprou um antigo palacete dos anos 20 no centro de Lisboa — entre o Marquês de Pombal e as Amoreiras — em 2019. O objetivo era trazer o conceito do conhecido hotel da Comporta até à capital. O projeto sofreu alguns atrasos devido à pandemia e à consequente falta de entrega dos materiais de construção. As obras retomaram em 2021 e o conceito está quase a abrir. 

Os hóspedes vão ter de esperar mais umas semanas para dormir num dos 15 quartos deste hotel de charme. No entanto, será possível fazer uma refeição no restaurante — o Davvero — já a partir da próxima terça-feira, 26 de abril. As reservas de uma mesa neste espaço que traz uma cozinha mediterrânea, de base italiana e com vários produtos portugueses à mistura, abriram nos últimos dias.

A entrada principal é feita pela Rua da Artilharia 1. Em breve existirá outra porta, com acesso através da receção do Sublime Lisboa. O antigo palacete foi todo renovado, mas ainda assim foram mantidos alguns elementos da construção original — tanto no hotel como no espaço do restaurante.

As colunas de ferro, pintadas em tons de verde, no meio da sala, são um dos destaques da decoração. O chão é o original, com azulejos hidráulicos com motivos cor de tijolo. O tom foi o escolhido para as fardas dos colaboradores e também para os pratos — uma edição limitada criada em exclusivo pela Vista Alegre.

O design de interiores foi idealizadoo por Rita Andringa, do Andringa Studio. Já tinha colaborado com o grupo Sublime no beach club que foi inaugurado no verão de 2020 na praia do Carvalhal. Para o Davvero foi criado um ambiente mais sofisticado e clássico a condizer com o estilo de gastronomia servido.

Hélio Gonçalves é o chef executivo do grupo. Já Isaac Kumi, 31 anos, é o chef do restaurante do Sublime Lisboa. Desenvolveram a ementa em conjunto. “É um projeto mediterrâneo de inspiração italiana e com vários produtos desta região. O objetivo é dar mais importância aos ingredientes e aos produtos, servir comida de qualidade através da simplicidade.  Às vezes, isso é o mais complicado de fazer”, explica à NiT Isaac Kumi.

Esta é sua a primeira experiência num restaurante em Portugal — está há quase um ano a trabalhar no Sublime. É natural de Treviso, uma localidade a 20 minutos de Veneza. Trabalhou durante vários anos no grupo Cipirani. “É uma das maiores marcas italianas fora de Itália. Estive em Abu Dhabi, no Dubai, em Ibiza e até nos Estados Unidos, entre Miami e Nova Iorque, onde têm sete restaurantes.”

No Cipirani a base é a cozinha clássica italiana. A ideia no Davvero é ligeiramente diferente. “É uma cozinha mediterrânea que está entre o fine dining e o tradicional. Apresentamos tudo de uma forma mais cuidada. Queremos acrescentar mais valor aos ingredientes.”

Usam vários ingredientes italianos, mas também portugueses. “Especialmente o peixe, como o robalo, dos mercados locais. O mesmo acontece com a amêijoa. Também usamos as carnes portuguesas de alta qualidade.”

A cozinha visível da sala do Davvero é onde são finalizados os vários pratos. Existe ainda uma área de preparações no piso inferior. De certeza que irá ver Isaac Kumi por lá a preparar as várias sugestões.

Para começar, tem por exemplo a Baccalà Mantecato, uma brandade de bacalhau com polenta negra crocante (12€); os croquetes de arroz e ervilhas com mozzarela (10€); ou a polenta com croquetes de novilho (10€).

Entre outras das sugestões pode experimentar o Spaghetti Alle Vongole, com amêijoas nacionais (24€), os gnocchi caseiros de beterraba com molho de gorgonzola (20€), o risotto negro com choco (24€), ou até o salmão grelhado com brócolos e uma mistura de ervas (26€).

O ideal é não se encher demasiado para experimentar as sobremesas, como a panna cotta. “É a melhor do mundo”, garante à NiT o chef de pastelaria, Mauro, 34 anos. Não é tão gelatinosa com as que estamos habituados, é mais cremosa, e regada com uma calda de frutos vermelhos.

O tiramisú não podia faltar (7€), assim como uma tarte de limão do Algarve com merengue (8€). Outra das propostas é a Torta Meringa (8€), que junta pão de ló, merengue, chantilly e baunilha (8€).

O Davvero vai estar aberto aos almoços e jantares. O espaço irá servir os pequenos-almoços assim que o hotel abrir — que também podem ser tomados por quem não esteja hospedado. Outra boa notícia é o brunch servido aos domingos, entre as 12h30 e as 16 horas — arranca já no dia 1 de maio.

Chama-se Bellini Brunch, que é a bebida da casa — junta prosecco e sumo de pêssego branco e pode ser pedida no bar. Este pequeno-almoço composto custa 65€ por pessoa. O menu começa com o tal cocktail, segue para uma seleção de queijos e enchidos, milho com parmesão, tiradito de salmão e abacate e limão e tranche de robalo com molho de alcaparras e limão.

O restaurante tem também uma esplanada no exterior com capacidade para 20 pessoas, onde estará disponível uma carta de snacks. No interior, pode receber 60 clientes. O Davvero é o único espaço do Sublime Lisboa que estará aberto a partir da próxima semana. Será preciso esperar até maio para passar uma noite no hotel.

In: https://www.nit.pt/comida/davvero-o-restaurante-novo-hotel-de-charme-sublime-lisboa-esta-quase-abrir 

0
    0
    Your Cart
    Your cart is emptyReturn to Shop